sábado, dezembro 26, 2015

Desmistificando a bissexualidade.

Vamos começar pelo básico:

Porém, essa definição acaba desencadeando uma série de afirmações.
"Você está confusa e em cima do muro" - Disseram.
"Você é hétero, mas está passando por uma fase" - Disseram.
"Não tem como sentir atração pelos dois, você precisa escolher" - Disseram.
Existe uma dualidade na cabeça das pessoas, ou você gosta de meninos ou de meninas e você só pode escolher um lado fixo pelo resto de sua vida. As pessoas se esquecem que existem pessoas não-binárias, e que a orientação sexual é muito mais ampla.

1. "Como assim? Então você sente vontade de beijar todo mundo?"
   Você, meu caro(a) amigo(a) hétero, sente vontade de beijar TODAS as pessoas do sexo oposto? Pois é. Existem aquelas preferências: olho castanho, ter os mesmos interesses, cabelo loiro, etc que restringem as suas escolhas, nós também temos as nossas.
   Não significa que queremos todo mundo, significa que nossas escolhas independem do sexo.

2. "Minha amiga gosta de transar com mulheres, mas gosta de beijar garotos de vez em quando. É lésbica falsa?" "Minha amiga gosta de homem, mas fica com meninas de vez em quando. É bi de balada, né?"
   Não e não.
azul- atração pelo mesmo gênero / rosa - atração por gêneros diferentes
"todos são bissexuais"

   Se ela já teve relação com 3 homens e 7 mulheres, ela continua sendo bissexual.    O que é mais difícil de entender para as pessoas que enxergam de fora é que, independente do número de parceiros do mesmo sexo ou do sexo oposto, a pessoa é sim bissexual desde que se declare assim.
   Se ele sente atração romântica só com homens e atração sexual com ambos, é bissexual.
   Se ela é assexuada (não vou definir porque exigiria uma explicação ampla, pesquisem), mas sente atração romântica por homem e por mulher, é bi-romântica.
   Se ele gosta de mulheres e homens no sentido afetivo, mas só tem relações sexuais com homens, é bissexual.

3. A sexualidade não é fixa.
   Durante a vida das pessoas, elas podem estar mais inclinadas a ter parceiros do mesmo sexo, assim como podem estar inclinadas a ter parceiros do sexo oposto em outro período. 
   A Escala Kinsey funciona como um guia para definir o espectro entre os extremos "hétero" e "homo" (embora o objetivo nunca foi classificar e definir quão hétero ou quão homo alguém é), A ideia é manter sempre a fluidez na sexualidade e ser uma ferramenta de autoconhecimento.

A escala se divide em 6 níveis:
0 – exclusivamente heterossexual
1 – predominantemente heterossexual, apenas ocasionalmente homossexual
2 – predominantemente heterossexual, mas mais do que ocasionalmente homossexual
3 – Igualmente heterossexual e homossexual 4 – Predominantemente homossexual, mas mais do que ocasionalmente heterossexual
5 – Predominantemente homossexual, apenas ocasionalmente heterossexual
6 – Exclusivamente homossexual

1 a 5: bissexuais
"Após um tempo, Kinsey incluiu a assexualidade na escala, representada pela letra x. Em sua pesquisa, Kinsey e sua equipe descobriram que a maioria das pessoas fica nas categorias médias, entre 1 e 5, indicando que a bissexualidade (como um “contínuo”, em vez de uma categoria distinta) é mais uma norma do que uma raridade." (fonte)

"Você não se TORNA gay"
"Você fica em algum lugar do espectro. Como a escala Kinsey"



















Nós não estamos indecisos e não estamos querendo aparecer. Nós não estamos fingindo algo que não somos e não inventamos um termo pra participar de putaria. Nós somos capazes de manter relacionamentos monogâmicos se quisermos. Nós não queremos pegar geral e não usamos isso pra iludir pessoas.
PS: Não entrei na questão da transexualidade porque não tenho bagagem acadêmica e socio-cultural para isso. Prefiro deixar para alguém mais engajado e que esteja dentro desse grupo, afinal, o protagonismo não é meu.
PS2: A escala não significa que você não pode se definir hétero ou homo. A sexualidade não é opcional e só você pode se enquadrar em uma classificação se quiser.

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. É um assunto polêmico, mas que também nunca entendi porque continua sendo. Que diferença vai fazer na minha, na tua ou na vida de outra pessoa se alguém se define como homo, bi ou hétero? Cada um com a sua vida né?
    Vi uma entrevista uma vez em que a (psicóloga ou antropóloga, não lembro) dizia que ninguém é 100% homo ou hétero, todos estamos em uma escala aí pelo meio. Seria como essa de Kinsley mas sem o 0 e o 6. Não quer dizer que todo mundo VAI ter parceiros de ambos os sexos, mas que provavelmente vai ao menos achar alguém do mesmo sexo atraente em algum momento da vida.

    Mas sou da campanha: vida, cada um cuida da sua :)

    Gaveta Abandonada

    ResponderExcluir