domingo, outubro 11, 2015

Filmes para complementar o entendimento de História


   A história não está aí pra você decorar fatos de forma linear, ela pode ser bem mais que isso! Assisti a alguns filmes nos últimos intervalos livres que pude ter, que me renderam algumas risadas e algumas lágrimas, confesso. Alguns foram indicações do meu professor de história e outros eu descobri navegando nas internetes... Seria de um extremo desperdício guardá-los pra mim, visto que trouxeram grande contribuição para o meu entendimento de mundo.
   Essa lista compreende o período de auge do absolutismo até a sua queda, portanto, separei os subgrupos de acordo com os locais. (mesmo que complementem com a história de outros estados)

Inglaterra
   Eu acho que aqui é onde encontramos as melhores produções, em maior número também. 
Sugiro que, antes dos filmes, você assista à série The White Queen, que retrata a Guerra das Rosas e as tretas entre as casas de York e de Lancaster (que antecedeu aos Tudors), mas se não tiver tempo só dê uma olhadinha no santo google para que você comece uma sequência na sua cabeça.

"Ana e Maria são irmãs que foram convencidas por seu pai e tio ambiciosos a aumentar o status da família tentando conquistar o coração de Henrique Tudor, o rei da Inglaterra. Elas são levadas à corte e logo Maria conquista o rei, dando-lhe um filho ilegítimo. Porém isto não faz com que Ana desista de seu intento, buscando de todas as formas passar para trás tanto sua irmã quanto a rainha Catarina de Aragão."
   Infelizmente, o senhor Henrique Tudor não era tão charmoso quanto no filme, como mostra-lhes a terceira imagem. Faltou explorar um pouco mais o rompimento com a Igreja Católica, já que é uma das principais mudanças de contexto da época. No mais, sensacional... Foi pra minha listinha de favoritos! Um salve para Ana Bolena <3
Assista com o google do lado para associar direitinho as pessoas com as histórias, principalmente para entender a sequência do próximo filme.

Elizabeth: "Inglaterra 1554. Sob o reinado da rainha católica Mary I, o país ficou arruinado e devastado pelas lutas religiosas para impor o catolicismo. Contra sua vontade, Elizabeth, sua meia-irmã que ela tentara condenar por traição, assume o trono após a sua morte. Elizabeth restabelece o protestantismo e o Papa a excomunga, o que abre as portas para a inimizade da França e da Espanha. Aconselhada a casar por conveniência para obter uma aliança que lhe permita manter a coroa. Elizabeth sabe que tem que agir com firmeza, se não quiser sucumbir à Europa e à nobreza católica da Inglaterra, seguidora de Mary Stuart, a herdeira mais provável do trono após morte de Elizabeth. Confiando somente em Sir Francis Walsingham, o chefe do serviço de espionagem, Elizabeth recusa as ofertas de casamento da França e Espanha, enquanto Walsingham se encarrega de matar Mary Stuart. Nenhum dos seus opositores internos é poupado, exceto Dudley, o seu amor da juventude e que fica como exemplo para quem quiser se opor à Rainha." 
Elizabeth - A Era de Ouro: "Na Inglaterra de 1585, com quase três décadas de reinado, Elizabeth I continua lidando com o forte anseio por seu trono e a remanescente ameaça de traição na própria família. Ao mesmo tempo, um vento destruidor de catolicismo fundamentalista varre a Europa do século 16, tendo como testa-de-ferro o rei da Espanha, Filipe II. Apoiado pela Igreja em Roma e armado com a Inquisição, Filipe está determinado a arrancar a “herege” protestante do trono e restaurar a Igreja Católica Romana na Inglaterra."
   Um filme é continuação do outro. Muitas tretas -de novo- com o catolicismo x protestantismo no contexto político. Gostei, o que me desagradou foi a enrolação em cenas romantizadas, porém vale a pena como um todo. Não sou crítica de cinema, mas me parece que o figurino é uma das coisas bem notáveis nos filmes.

 França
"A princesa austríaca Maria Antonieta é enviada ainda adolescente à França para se casar com o príncipe Luis XVI , como parte de um acordo entre os países. Na corte de Versalles ela é envolvida em rígidas regras de etiqueta, ferrenhas disputas familiares e fofocas insuportáveis, mundo em que nunca se sentiu confortável. Praticamente exilada, decide criar um universo à parte dentro daquela corte, no qual pode se divertir e aproveitar sua juventude. Só que, fora das paredes do palácio, a revolução não pode mais esperar para explodir."
Transformaram uma personalidade odiada em uma vítima das circunstâncias? Sim, mas quem poderá dizer que ela não foi? Um dos filmes mais bonitos que já vi em questão de cenário, de atuação e de figurino. Centrado no luxo e nos gastos exagerados, retrata a nobreza que vivia em um universo paralelo para fugir da realidade.

"Na primavera de 1794, Danton retorna a Paris e constata que o Comitê de Segurança, sob a incitação de Robespierre, inicia várias execuções em massa. O povo, que já passava fome, agora vive um medo constante, pois qualquer coisa que desagrade o poder é considerado um ato contra-revolucionário. Nem mesmo Danton, um dos líderes da Revolução Francesa, deixa de ser acusado. Os mesmos revolucionários que promulgaram a Declaração de Direitos do Homem implantaram agora um regime onde o terror impera. Confiando no apoio popular, Danton entra em choque com Robespierre, seu antigo aliado, que detém o poder. O resultado deste confronto é que Danton acaba sendo levado a julgamento, onde a liberdade, a igualdade e a fraternidade foram facilmente esquecidas."
   Cansado do absolutismo? A galera da revolução também. Para acompanhar a passagem do outro filme para os acontecimentos desse, de novo, sugiro que dê uma olhada no google. Nos dias contemporâneos, a conversa seria a seguinte: "Robespierre, meu migo, vamos maneirar aí" "Seu reaça, my guilhotina don't!". Um dos meus filmes favoritos, guardarei pra sempre no coração.

Brasil
"Em 1570 chega ao Brasil um grupo de órfãs, enviadas pela Rainha de Portugal para desposar os primeiros colonizadores. Entre elas vem Oribela, jovem sensível e religiosa. Contra sua vontade, ela é entregue em casamento a Francisco de Albuquerque, e segue com o marido sertão adentro, rumo ao engenho de açúcar. Apesar de ser um homem rude, Francisco trata Oribela com respeito: quer que ela seja a senhora da casa e lhe dê filhos brancos. No engenho moram também a mãe e uma jovem irmã de Francisco. Os Albuquerque formam perturbador e incestuoso núcleo familiar. Oribela estranha o marido, a sogra, a cunhada, a gente que trabalha no engenho. Estranha, também a inóspita paisagem. Certo dia, aproveitando a passagem de Ximeno, um comerciante vendedor de escravos, Oribela foge de casa. Quer pegar um navio e voltar a Portugal. Mas Francisco a recaptura.[...]" (cortei a resenha porque ela conta mais do que devia)
   Meu professor de literatura havia falado sobre o livro, porém eu não ia ter tempo pra ler e resolvi assistir o filme, que é um meio mais rápido. Mexeu com os feelings, chorei. Mais importante do que se prender à história individual, é interessante prestar atenção no contexto da época. O filme é todo falado em português arcaico (sim, precisa de legenda) e representa bem as várias Oribelas que um dia passaram pela mesma situação. Foi para os favoritos.

  Não assisti a esse filme agora em 2015, por isso resolvi não colocá-lo na lista: Os Inconfidentes. Pelo que me lembro, o filme foi interessante principalmente por citar a poesia e ressaltar a ligação com a literatura, mas me parece que ele foi um pouco romantizado. Então, procurem pela real história e depois vejam o filme nesse meio.

"Um painel da vida de Carlota Joaquina, a infanta espanhola que conheceu o príncipe de Portugal com apenas dez anos e se decepcionou com o futuro marido. Sempre mostrou disposição para seus amantes e pelo poder e se sentiu tremendamente contrariada quando a corte portuguesa veio para o Brasil, tendo uma grande sensação de alívio quando foi embora."
   Filme doido. De gente doida. Antes de vê-lo, dê uma olhada nos antecessores de D. João, nos seus pais e nos seus irmãos...

   É óbvio que os filmes não têm compromisso de estar 100% de acordo com a realidade, já que são interpretações através de um ponto de vista. Como auxílio, considero muito útil para memorizar... Essa é a principal dificuldade para estudar história. Ainda existem milhões de filmes para serem explorados nesse sentido, e muita coisa nova pra descobrir!


Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Dê seu pitaco nessa postagem também!