terça-feira, abril 14, 2015

Ensaio fotográfico e uma breve reflexão sobre minha pessoa.


   Um dia desses eu estava acessando o facebook, até que subiu a janelinha de uma conversa, era o André me convidando pra fazer um ensaio para o projeto dele. (o facebook dele está linkado, caso você esteja pensando em fazer umas fotinhas rs) Pedi pra uma amiga me ajudar com as roupas e maquiagem, porque esse não é exatamente meu forte, e aceitei.



   No início fiquei pensando que a parte mais difícil seria ter alguém do outro lado da câmera me fotografando, eu que não sou nem um pouco tímida e introspectiva achei que isso poderia me atrapalhar durante as fotos. No final, todas as minhas neuroses passaram e o ensaio correu naturalmente.


   Eu já tinha uma ideia de como seria o resultado, mas fiquei apaixonada quando finalmente pude abrir e conferir as fotos. A ideia era passar o máximo de emoção possível, ser autêntico e que refletisse minha visão de mundo.



   Isso me levou a pensar sobre essa coisa toda de as pessoas me considerarem alguém com personalidade forte, cheia de convicções e afins. Desde quando eu decidi me tornar uma pessoa pública na internet, eu sabia que isso geraria reações diversas (ou o famoso mimimi), as pessoas não costumam aceitar quando alguém se torna diferente do que é o habitual de convívio delas.



   Sempre soube que muitas pessoas me odiariam pelo resto de suas vidas, me achariam chata, eu perderia a empatia de alguns. Em compensação, conheci o dobro de pessoas bacanas que realmente me apoiam e entenderiam que eu não sou uma simples incorporação de uma "rebeldia sem causa".


   Eu me pergunto: de que vale tudo isso? De que adianta você ter 87263 "amigos" que não sabem metade do que se passa na sua cabeça? Eu nunca gostei da ideia de fingir ser algo que eu não sou, muito menos dessa obrigatoriedade de agradar a todos.


   Na minha concepção de vida, é mais verdadeiro ter ao seu lado pessoas que te aceitam e mais uma dúzia de odiadores que te odeiam por quem você verdadeiramente é, do que meio milhão de pessoas superficiais que te amam e veneram por algo que você não é.


   Eu não tenho medo da rejeição, e ninguém deveria. É apenas uma consequência de se ter convívio com pessoas extremamente diferentes entre si. Se uma pessoa não gosta de mim, por que eu deveria precisar dela? Eu me amo exatamente assim, e eu me basto.
   Esses dias recebi no meu kiwi que eu morava em uma cidade muito pequena pra me expor tanto na internet. O que não faz sentido algum, por que eu deveria me limitar a um lugar e a um comportamento típico? Críticas em sua maioria dizem mais sobre a pessoa que as enviou do que de mim mesma, e isso aconteceria independente do lugar onde eu estivesse. A mudança é algo que deve partir de você, não das pessoas ao seu redor.


   Então, sem mais delongas, voltando ao essencial... Por que vocês me consideram alguém com personalidade forte? A única regra que eu sigo é ser eu mesma, isso é a única coisa que poderia me definir. E por que vocês não podem ser assim também? Já escrevi sobre isso aqui, deem uma olhada, vocês podem e devem ser quem vocês quiserem. (bato nessa tecla sempre, pois é)


Pode falar, não me importa, o que eu tenho de torta, eu tenho de feliz...









Até a próxima! Me acompanhem no twitter e no instagram. 

Comentários
2 Comentários

2 comentários:

  1. Giulia, seu estilo é lindo, você é linda e as fotos ficaram perfeitas! Você seria uma ótima modelo fotográfica, eu no seu caso já ficaria toda envergonhada em ver alguém tirando foto minha! Adorei seu blog e sua postagem. Eu me considero uma pessoa de pavio curto e também personalidade forte! Apesar da minha timidez, gosto de ser bem restrita a muito assuntos! Gostei do seu texto e da sua personalidade!

    Já estou seguindo seu blog, Giulia! ❤
    Beijoos ~

    http://jaquedelua.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir