quinta-feira, julho 24, 2014

Puta?

*_*

   Biscate. Vagabunda. Piranha. Vadia. etc
   Faz tempo que venho tentando tirar essas palavras do meu vocabulário. Hoje estava lendo um artigo sobre liberdade da mulher sobre seu corpo, o que me fez pensar sobre o assunto. A todo momento ouvimos mulheres chamando outras mulheres de puta por motivos banais, como por exemplo quando uma mulher está com o ex de fulana e fulana já grita aos quatro cantos "Piranha, essa mulher é uma vagabunda!!!". Hum, então ela é piranha? Por que é tão difícil assumir essa inveja medíocre e desnecessária? Deveríamos começar a pensar no que tem por trás disso quando usamos essas palavras.
   "Ficou sabendo? Fulaninha deu pro cara. Que piranha!" Até porque ela tem que ficar passando vontade pra não ser desmoralizada enquanto o cara é fodão por ter conseguido transar com ela. Então pro homem isso é um troféu, e pra mulher é algo que se deve esconder? Por favor né, nem minha avó tem esses conceitos mais. Mulher não tem que ser idealizada como um anjo, mulher gosta tanto quanto homem, por que tem que ser diferente? "Mulher tem que se preservar, se dar valor" Não!! Ninguém tem a obrigação de nada, cada um tem a liberdade sobre o seu próprio corpo.
   Esses dias ouvi uma história de que uma amiga ("amiga") chegou na casa de fulana enquanto fulana estava no banho e a fulana pediu pra não mexer no computador dela, aí a querida amiga abriu o computador e viu que a fulana estava vendo pornô. Aí essa "amiga" maravilhosa resolveu espalhar pra quem quiser ouvir que ela estava vendo pornô e a tal fulana é zoada por isso. Eu não sei se eu fiquei mais indignada com a "amiga" que por sinal não é santinha, ou com as pessoas zoando por isso. Quanta hipocrisia! Homem falar que vê pornô é normal, e mulher é uma coisa absurda!
   Vamos cair na real, até aquelas pessoas que vão a igreja todo domingo, que não bebem ou o melhor aluno da sala não são autossuficientes e pensam sim em sexo. Principalmente nós, mulheres, deveríamos parar com essa mania escrota de categorizar outras mulheres dessa forma! A não ser que você se torne padre ou algo do tipo, em algum momento da sua vida isso vai acontecer com você também, se você quiser. Essa é a única regra: Faça o que você quiser fazer! Me chamem de feminista, até mesmo de puta, mas nunca tentem impor o que é certo ou errado, porque o seu conceito do que é certo pode não ser o mesmo que o de outra pessoa.
Beijos, e até a próxima.
Comentários
2 Comentários

2 comentários: